terça-feira, 17 de março de 2015

De volta às atividades

Olá pessoal!
Ficamos algum tempo sem postar no Blog. O motivo, por incrível que pareça, era a falta de uma internet razoável para trabalhar. Resolvido o problema vamos fazer postagens e mostrar as nossas atividades com mais frequência, espero que gostem. Abraço para todos! 

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Confissão e Absolvição.

Quando se fala de confissão e absolvição, ninguém melhor que Jesus para servir de exemplo para a prática da confissão e absolvição. Conhecedor  do coração de todos os homens, Jesus pode de maneira prática consolar com o perdão por palavras. Isso é mostrado na Bíblia em Mt 9.2 e Jo 8.10-11.

Durante a história da Igreja Cristã, o foco da confissão e absolvição se desviou nos séculos que procederam a Reforma, daquilo que era ensinado nos primórdios da igreja. Passou a ser obra meritória e não graça de Deus para com o ser humano. Já após a reforma o reformador insistiu na sua prática, pois ele viu na confissão e absolvição individual um recurso na preservação da doutrina da Igreja Cristã e um melhoramento na cura d’ almas (pastor).

Na realidade, as palavras da ordem de Jesus, ao instituir o Ofício das Chaves, nos mostram que as Chaves pertencem a toda a congregação e a cada membro da congregação cristã. Por conseguinte, este poder é designado para a reconciliação privada dos irmãos na fé, bem como para a admoestação e consolação fraternas. Essa prática é muito importante e deveria ser praticada pelas comunidades cristãs.

Por isso a teologia luterana tem em alto valor a confissão e absolvição individual devido a sua doutrina. E neste ensino destaca-se a cura d’ almas como meio de providenciar consolação, perdão, fortalecimento, conselho e instrução. A presença da congregação local, no exercício do Ofício das Chaves, assegura a presença e ação de Deus na vida da pessoa.


Portanto, a existência da congregação local, com seu ofício ministerial, é a base para a prática da confissão individual. E é na congregação que este ministério da conciliação efetivamente está baseado, assegurado, sustentado e precisa ser exercitado. No entanto não se deve deixar de lado a relação fraternal entre todos os membros da igreja.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

A Igreja Evangélica Luterana do Brasil

· Nossa missão: Proclamar Cristo para todos.
· Nosso propósito: Compartilhar o Evangelho de Cristo para promover a evangelização e o crescimento espiritual.
· Nossos valores: A ação e o amor de Deus através da sua Palavra e dos sacramentos do Batismo e da Santa Ceia, que trazem perdão, vida e salvação, em Cristo.
Nossa visão: Sermos uma Igreja Luterana confessional que vai ao encontro das necessidades das pessoas.

A IELB em números:
· 55 distritos
· 532 paróquias 
· 2.089 locais (congregações e pontos de pregação ou missão)
· 853 pastores, sendo que 616 pastores atuam nas paróquias
· 240.855 membros

* Dados estatísticos de 2012

A atual logomarca da IELB foi aprovada pelo seu Conselho Diretor, reunido de 23 a 26 de maio de 1991.


terça-feira, 4 de novembro de 2014

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Reforma Luterana

 Nesta semana comemoramos 496 anos da Reforma Luterana, mais precisamente no último dia deste mês. Porque celebrar este acontecimento? Esse foi o início de uma grande reforma na igreja, que redescobriu o Evangelho.

         A igreja daquela época estava muito interessada em luxo, tanto de seus sacerdotes como dos templos. Foi justamente por isso que o Dr. Martinho Lutero pregou as 95 teses em 1517. Um dos objetivos era terminar a Basílica de São Pedro, isso custava muito dinheiro. Então a igreja aceitou várias formas de arrecadação de verbas. Uma delas foi as indulgências, a igreja receberia uma porcentagem das vendas.
       
            Nas indulgências, as pessoas pagavam tanto para receber o perdão deles como de seus familiares que já haviam morrido, de três a quatro gerações atrás.
           Isso juntamente com a doutrina da salvação por obras fez com que a reforma fosse necessária. Lutero redescobriu a salvação pela fé quando leu em Rm 1.17: "Pois o Evangelho mostra como é que Deus nos aceita: é por meio da fé, do começo ao fim. Como dizem as Escrituras Sagradas: Viverá aquele que, por meio da fé, é aceito por Deus."
            Antes da descoberta, Lutero vivia angustiado e sofrendo, apavorado, com medo de Deus. Pois vinha de um ensinamento que dizia que as pessoas precisam fazer boas obras para que o ser humano fosse aceito por Deus. Felizmente Deus abriu os olhos deste seu servo para que ele redescobrisse o Evangelho e pudesse transmitir a mais pessoas.
            É por isso que celebramos a Reforma Luterana, pois o Evangelho foi redescoberto, hoje não precisamos viver angustiados e com medo de Deus, podemos sempre ter a certeza do perdão e do amor de Deus. Agora Cristo tem sentido em nossa vida: Ele morreu por nós para termos o perdão dos pecados. Não para termos que pagar pelo perdão, Cristo já pagou. Já temos o perdão, confiemos nesse amor de Deus. Amém.            

Pastor Marcelo Götz - Colatina, ES

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Programa 5 Minutos com Jesus

Ouça o programa 5 Minutos com Jesus clicando no link: Rádio Taquara FM 87.9

Vai ao ar de segunda a sexta-feira às 08:00 da manhã (Horário de verão de Brasília). Já em Alto Parnaíba e Santa Filomena (onde não há o horário de verão) é às 07:00 horas da manhã.

Aproveite! Comece o seu dia com uma mensagem de consolo e esperança, baseada na Bíblia - A Palavra de Deus.